O Ensino Religioso para além da razão: a crítica de Rubem Alves à neutralidade acadêmica

No atual contexto de uma sociedade cultural e religiosamente diversificada, a educação brasileira vem sendo desafiada a superar teorias e práticas excludentes, confessionais e monoculturais. Em razão disso, a própria natureza histórica da disciplina do Ensino Religioso paulatinamente foi ressignificada para um ensino sobre as religiões na escola, sem feições prosélitas ou doutrinárias. Nesse sentido, esse estudo toma como premissa a pedagogia de Rubem Alves, que sugere uma educação que valorize questões subjetivas para além do intelecto. Por conseguinte, propõe uma aproximação teórica entre a filosofia alvesiana e o Ensino Religioso, para asseverar que a religião se constitui em experiências múltiplas que incluem valores e sensibilidades. O artigo problematiza a noção de neutralidade científica que sustenta um ensino religioso descritivista e aponta para a necessidade de expormos nossos objetivos práticos para promover uma educação propositiva e eficaz pensando em ideais democráticos-civilizatórios. Para tanto sugerimos, por exemplo, a noção de justiça social como fundamento do processo de ensino-aprendizagem. Metodologicamente, o trabalho é de cunho bibliográfico, amparando-se notadamente em obras de Rubem Alves. Os resultados indicam que a compreensão antropológica do ser humano como ser de desejos, impõe a necessidade de pensarmos a educação para além da transmissão de conhecimentos, ou seja, visando a transformação do indivíduo e a humanização da sociedade.

Autores: Gustavo Claudiano Martins / Nathália Ferreira Sousa Martins
Palavras-chave: Ensino religioso / Neutralidade científica / Rubem Alves
Editora: Editora Universitária Champagnat
Ano de edição: 2021