A pandemia de covid-19 expôs muitas limitações do que podemos chamar de “condição humana”. Ela nos fez lembrar o quanto somos parte da natureza enquanto primatas, com características tidas como positivas ou negativas. A instrumentalização da religião como substituto da vacina imunológica é uma destas limitações. Em geral, coloca-se nas mãos do Deus monoteísta o poder de decidir quem vai ou não adoecer e até morrer.

E DEUS COM ISSO?

Implícita a esta crença, está a noção de um deus demiurgo que, além de inspirar o bem e a escolha pelo bem, teria o poder de definir o destino de cada indivíduo a despeito do nosso notório livre arbítrio. Costumo dizer que se Deus tem este poder, eu sou ateu! Afinal, vivemos em um mundo de males e imensas injustiças… Este super Deus poderia até decidir impedir você de pegar covid ou de morrer dela. Então, foi ele que decidiu pela morte de milhões de milhões de seres humanos? Se foi, tô fora…

FÉ EM DEUS OU NA VACINA…

Este dilema é falso. O Deus de Jesus não decide tudo em nossas vidas por nós mesmos. Também não tem lado na política, nas guerras ou no futebol (“ainda que devesse torcer pelo Santa Cruz, tendo em vista o nome do clube…”, me diz alguém ao lado). O Rabi Jesus deixou bem claro que até a própria aceitação ou não da fé é um assunto DO homem e não de Deus. Por que seria diferente na escolha de tomar ou não vacina? Ou seja, quando alguém não toma a vacina ou não leva uma criança para tomar, não tem como colocar este assunto nas mãos de Deus! É assunto da ciência e não Dele.

NEGACIONISMO

A volta dos picos de mortandade fez voltar a notar mais também o perigo do negacionismo. Quase sempre de base religiosa, o negacionismo agora mata crianças aos milhares pelo mundo. Até que ponto é direito negar vacina a uma criança em função de ser o responsável legal por ela? Notem que o debate nos leva ao direito à liberdade e às bases da democracia. Considero que neste e em outros procedimentos de saúde que implicam  risco de morte, o poder da família sobre a criança – que ainda não decide por si mesma -, deve ser inferior ao que determinam a razão técnica e a ciência.

O EFEITO DA VACINA

Para muitos, em vez de concentrar a própria observação nas fakenews que acusam diversas vacinas de diversos males, seria bom prestarem atenção na redução do número de doentes e mortos no grupo das pessoas vacinadas. Uma vez que aceitem esta obviedade, podem voltar a própria Fé para algo que o Deus de Abraão, de Jesus e de Maomé  realmente oferece: o socorro da Alma e o enfrentamento da dor da morte ou da nossa sombra interior…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.